Finanças pessoais

Como organizar minhas finanças pessoais?

junho 3, 2019
como organizar minhas financas pessoais

Agora que você já entendeu a importância de se educar financeiramente, é hora de agir ativamente e organizar as suas finanças pessoais. Até aqui, você já deve ter definido quais são suas receitas e suas despesas fixas e já deve ter uma boa ideia também do quanto sobra (ou não) do seu dinheiro ao final do mês. Em um dos nossos conteúdos, falamos sobre o que é Educação Financeira e qual a importância dela na sua vida (dê uma olhada aqui e entenda melhor como fazer isso).

Com base nessas informações, será possível preparar o seu orçamento pessoal. Ele é uma das principais ferramentas que permitem enxergar suas finanças de forma estruturada e muito mais simples.

Este conteúdo vai ensinar você a preparar o seu próprio orçamento pessoal e te ajudar a planejar-se. Com certeza você terá uma visão mais clara do seu orçamento pessoal e isso pode fazer toda a diferença! Vamos lá?

O que é um orçamento pessoal?

Primeiramente é importante definirmos o que é orçamento. A palavra orçamento vem de orçar, estimar o preço ou valor. Quando recebemos um orçamento de uma reforma, por exemplo, temos uma previsão de quanto ela custará. Ou seja, o orçamento é uma previsão de valor, olhando para o futuro.

Já o orçamento pessoal é uma ferramenta de administração financeira que permite a análise (de forma clara e objetiva) de qual será a sua situação financeira em determinado momento no futuro, demonstrando previsões de saldos, receitas, despesas.

É crucial que seja feita essa análise olhando para o futuro. pois é isso que permitirá que você não seja pego desprevenido, tome decisões antecipadas e faça ajustes no orçamento previamente. O que ajuda a evitar as desagradáveis “surpresas no final do mês”.

Vamos agora então preparar o seu orçamento pessoal?

Preparando o seu orçamento pessoal

Mas como fazer o seu orçamento pessoal?

Embora soe como algo complexo, preparar um orçamento pessoal é uma atividade bem simples, na verdade. Não são necessários softwares complexos, muito menos conhecimentos avançados em informática. Você vai precisar utilizar apenas uma planilha eletrônica que pode ser um Microsoft Excel ou um Google Sheets, por exemplo. Existem, inclusive, alguns modelos prontos (muito bons!) que podem ser acessados aqui.

O seu orçamento pessoal será dividido em 4 elementos principais:

  1. Saldos Iniciais
  2. Receitas Previstas
  3. Despesas Previstas
  4. Saldo Projetado

Vamos olhar detalhadamente para cada um deles na sequência.

Quais são os saldos iniciais?

Os saldos iniciais devem ser compostos por todo o dinheiro que você tem. São os recursos financeiros disponíveis que você pode utilizar imediatamente, se necessário. Serão considerados os saldos em contas correntes bancárias, saldos em contas de investimento e valores disponíveis em dinheiro em espécie.

Exemplificando, vamos supor que no início do mês você tenha R$2.000,00 em sua conta bancária, R$200,00 na poupança e R$300,00 em dinheiro. Isso significa que seu saldo inicial é de R$2.500,00. Sua planilha deverá ficar dessa forma:

Saldos IniciaisTotal R$ 2.500
Dinheiro R$ 200
Conta Corrente R$ 2.000
Poupança R$ 300

Quais são as suas receitas previstas?

Receitas previstas são todos os recursos financeiros que temos a expectativa de receber dentro do mês. Esses valores podem ser salários, aluguéis de imóveis, rendimentos de investimentos financeiros, vendas de itens, etc. Vamos imaginar que você receba mensalmente um salário de R$2.000,00. Receba também o aluguel de um imóvel no valor de R$500,00 e a poupança te dê um rendimento estimado (otimista), de R$2,00. Considerando esse caso, sua planilha de receitas previstas deverá ser mais ou menos assim:

Receitas
Previstas
Total Mensal: R$ 2.502
Salários R$ 2.000
Recebimento de aluguel R$ 500
Receita Financeira R$ 2

Quais são as suas despesas previstas?

As despesas previstas são todos os valores que temos a expectativa de desembolsar durante o mês. Esta é talvez a parte mais sensível da elaboração do orçamento. Aqui é preciso ter muito cuidado e critério para prever quais serão as suas despesas. Não se pode simplesmente chutar valores. É necessário estudar atentamente cada um dos gastos, cada pequeno custo, e anotar tudo de forma consciente.

Aqui, o esquecimento ou displicência na hora de definir as despesas previstas (algo muito comum, por sinal), pode ser fatal para o sucesso ou fracasso do seu orçamento.

Supondo que você tenha uma previsão de despesas de R$1.500,00 com aluguel, R$150,00 com energia, R$50,00 com água, R$750,00 com supermercado e R$100,00 com telefone, sua planilha deve apresentar o seguinte:

Despesas
Previstas
Total Mensal: R$ 2.550
Aluguel R$ 1.500
Energia R$ 150
Água R$ 50
Supermercado R$ 750
Telefone R$ 100

Qual é o seu saldo projetado?

Bem, agora você já tem os “saldos iniciais”, já definiu suas “receitas previstas”, bem como as suas “despesas previstas”. Neste momento então, já é possível saber o seu saldo projetado, ou seja, quanto você terá de dinheiro no futuro.

Para isso faremos o seguinte cálculo: Saldos Iniciais + Receitas Previstas + Despesas previstas = Saldo Projetado. Esse deverá ser o resultado da sua planilha:

Saldo Projetado R$ 2.452

O seu orçamento pessoal está pronto. Agora precisamos fazer algo importantíssimo, que é a sua análise.

Analisando o seu orçamento pessoal

De nada adianta preparar um orçamento pessoal, se não for feita uma análise dos dados e informações que ele apresenta. Vamos avaliar o orçamento que preparamos até agora:

Saldos IniciaisTotal R$ 2.500
Dinheiro R$ 200
Conta Corrente R$ 2.000
Poupança R$ 300
Receitas
Previstas     
Total Mensal: R$ 2.502
Salários R$ 2.000
Recebimento de aluguel R$ 500
Receita Financeira R$ 2
Despesas
Previstas
Total Mensal: R$ 2.550
Aluguel R$ 1.500
Energia R$ 150
Água R$ 50
Supermercado R$ 750
Telefone R$ 100
Saldo Projetado R$ 2.452

Em um primeiro momento você pode concluir que está tudo em ordem, já que o saldo ao final do mês é positivo. Porém, um olhar mais atento vai permitir enxergar que essa situação não é tão positiva assim.

No início do mês havia R$2.500,00 disponível. Porém, ao final do mês R$2.452,00. Ou seja as suas despesas previstas estão R$48,00 superiores às suas receitas previstas. Pensando em 12 meses, no período de apenas um ano, você terá queimado R$576,00 das suas reservas iniciais chegando ao final dele com R$1.773,00.

Fica claro, então, que é preciso fazer um ajuste no orçamento, reduzir alguma despesa para que essa conta fique positiva. E essa é exatamente a mágica do orçamento pessoal: proporcionar uma visão clara da sua situação financeira, para que você possa tomar decisões mais assertivas e embasadas.

Pronto para organizar suas finanças?

Organizar as finanças pessoais exige tempo, dedicação e disciplina. Utilizar as ferramentas adequadas, como por exemplo a elaboração de um orçamento pessoal próprio, ajuda muito nesse sentido. Neste conteúdo, foi possível entender como uma simples análise inicial do seu orçamento pode trazer elementos impossíveis de serem vistos a “olho nu”. Essa ampliação da visão permite que decisões sejam tomadas de formas muito mais assertivas.

Outro ponto importante a ser destacado é o de que não adianta nada você preparar um orçamento pessoal, se deixá-lo em uma gaveta e não fazer o devido acompanhamento necessário. Ele deve ser observado/revisto todos os dias, verificando se as realizações estão realmente ocorrendo como foi planejado.

Uma elaboração cuidadosa de seu orçamento pessoal e um bom acompanhamento vão ajudar você a organizar suas finanças pessoais, a migrar para o azul e a realizar os seus sonhos. Vamos nessa então?

Acompanhe os nossos conteúdos que auxiliam você a sair do vermelho e melhorar sua situação financeira. Educar-se financeiramente é cada vez mais essencial no contexto em que vivemos. Conte com a nossa especialidade e expertise para isso.

Comente aqui abaixo (agora) o que você acha sobre o assunto e mostre pra gente qual a sua opinião em relação à educação financeira e ao seu orçamento pessoal. Isso é fácil para você? Funciona mesmo? É possível colocar em prática no dia a dia? Você já conseguiu se organizar melhor financeiramente?

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO