Finanças pessoais

O que é Educação Financeira e qual a importância dela na sua vida?

junho 10, 2019
educação financeira o que é

A educação financeira ensina os indivíduos a como gerir os seus recursos financeiros e despesas, de forma a obter/manter uma vida financeira confortável. Ela tem por propósito auxiliar as pessoas na administração dos seus rendimentos, nas suas decisões de poupança e de investimento, bem como ajudá-las a tomar decisões de compras mais conscientes. Ou seja, a educação financeira proporciona os conhecimentos necessários para que você atinja seus objetivos de vida com base em um planejamento prévio.

Para que isso realmente aconteça, é preciso ter total consciência, conhecimento e controle dos seus recursos e despesas mensais. Também é preciso fazer um acompanhamento próximo de como as receitas e despesas estão realmente ocorrendo, para que não hajam surpresas desagradáveis no final do mês.

Além disso, você também deve fazer investimento das suas sobras de recursos, para que o seu dinheiro não perca valor gradualmente. A inflação com o tempo reduz o valor do seu dinheiro e os investimentos servem para justamente corrigir essa distorção, mantendo assim o seu poder de compra.

Quer aprender um pouco mais sobre educação financeira e como ela pode te ajudar a manter ou trazer o seu orçamento para o azul? Então, esse artigo é pra você! Acompanhe as nossas dicas e melhores práticas para mudança de mentalidade sobre a sua educação financeira.

Educação Financeira: por onde começar?

A primeira coisa a ser feita é uma análise minuciosa da sua situação financeira atual. Como ela está? Sobra dinheiro no final do mês ou você se sente em uma batalha em que, de um lado está o seu dinheiro e do outro, os boletos? Não se preocupe, a maior parte da população se identifica muito mais com a segunda opção.

É aqui, logo no início, que devemos ser muito realistas e honestos, pois os dados que serão levantados no estágio inicial darão suporte para todas as decisões que virão em sequência. Vamos lá?

Defina as suas receitas

As receitas são todos os valores que você tem a receber que podem ser provenientes de salários, aluguel de imóveis ou receitas de aplicações financeiras. Representa todo valor que entrar de forma positiva em seu bolso. No caso de quem está cuidando de um orçamento familiar, que envolve mais pessoas, devem ser somadas as receitas de todos os indivíduos.

Defina as suas despesas fixas

Despesas fixas são aquelas que você tem obrigatoriamente todo mês. Despesas com aluguel, água, educação e energia, são exemplos de despesas fixas. Liste todas com bastante critério e honestidade para que se tenha um panorama real sobre onde está indo o seu dinheiro.

Descubra o seu saldo

Agora que você já listou as receitas e definiu quais são as suas despesas fixas é possível avaliar com precisão qual é a sua situação financeira. Será que você está tendo lucro ou prejuízo ao final do mês? Se estiver tendo prejuízo, não se preocupe. Estamos aqui justamente pra ajudar você a inverter a conta.

“Ter mais dinheiro” é a solução?

As pessoas, muitas vezes, têm o péssimo hábito de acreditar que a solução dos seus problemas financeiros é ter mais dinheiro. Mas acredite: essa é uma péssima ideia! Ter muito dinheiro sem uma boa gestão pode ser pior do que não ter dinheiro. Essa situação pode te levar a dívidas muito maiores das que você teria com pouco dinheiro.

A solução não é “ter mais dinheiro” e sim “adequar suas despesas às suas receitas”. Gastar menos do que se ganha. E é exatamente o mapeamento da sua situação financeira atual que ajudará você a tomar decisões para conseguir isso!

Elimine despesas não essenciais

Já reparou a quantidade de dinheiro que gastamos com coisas inúteis? Pessoas pagam academia e não frequentam um dia sequer. Outras possuem carro, pagam IPVA, perdem dinheiro com a sua desvalorização e, muitas vezes, nunca o usam. Assinam revistas e jornais que também não leem…

Esse tipo de despesa “invisível” corrói as receitas de forma silenciosa. Ao tomar conhecimento delas é possível eliminá-las sem dó. Avalie agora mesmo todas as suas despesas fixas e veja quais são realmente necessárias, quais agregam valor de verdade, e também aquelas, sem as quais é possível viver (nem que seja por um período de adequação, ok?).

Elimine despesas não essenciais com serviços de assinatura de TV, vídeo sob demanda e música, e todas as outras que não sejam essenciais para a sua vida. Isso diminuirá um pouco a pressão das despesas sobre as suas receitas e já fará uma grande diferença na sua realidade financeira atual.

Reduza despesas essenciais

Já pensou em reduzir as suas despesas essenciais? Isso impactará muito nos seus gastos mensais. Sempre tem uma despesa ou outra que dá para evitar ou reduzir. Por exemplo, segundo a ONU, o tempo ideal de um banho é de aproximadamente 5 minutos. A partir de 10 minutos, você já está desperdiçando água. Em um banho de 15 minutos você gasta mais do que seria recomendado para o dia todo! Esse desperdício de água tem um custo para o planeta e também para o seu bolso. Quando você não fecha a torneira, está aumentando desnecessariamente suas despesas essenciais.

O mesmo acontece quando você não desliga a luz, deixa a TV ligada sem ninguém assistir ou até mesmo deixa o ar condicionado ligado sem necessidade. Tudo isso é desperdício e diminui o quanto sobra de dinheiro disponível no final do mês. Comece com essas pequenas mudanças de atitude e repare o quanto você pode economizar nos seus gastos.

Ajustes feitos e gastos reduzidos: e agora?

Agora que você já fez todos os ajustes necessários, é hora de aplicar uma regra orçamentária chamada 50/15/30. Segundo a regra você deve reservar 50% das suas receitas para as despesas essenciais, 15% deve ser poupado/guardado e 35% destinado para o seu estilo de vida atual. Vamos avaliar cada um destes elementos.

50% – Despesas Essenciais

Suas despesas essenciais não podem ser superiores a 50% do seu salário. Se for superior a isso, é preciso adequá-las urgentemente para que se encaixem neste valor. Supondo que o total de suas receitas seja de R$3.000,00, essa categoria de despesas não pode superar R$1.500,00, certo?

15% – Poupar

Após reservar os valores para as despesas essenciais, você deve reservar 15% da sua renda para poupar e fazer investimentos. Por mais que você não consiga inicialmente atingir os 15%, deve ter esse número como uma meta e buscar sempre atingi-lo. Esse valor poderá ser uma reserva de segurança apenas, ou até mesmo uma poupança para realizar algum sonho. Pensando ainda em um valor de receita de R$3.000,00, o valor a ser poupado é de R$450,00/mês.

35% – Estilo de Vida

Aqui vem a melhor parte. O restante do dinheiro, você poderá gastar como quiser! É isso mesmo, pode gastar do jeito que achar melhor. Compras, restaurantes, presentes… Você pode usá-lo para o seu estilo de vida, sem restrições. São R$1.050,00 para se divertir, considerando ainda os R$3.000,00 de receita total.

Educação Financeira não é tarefa fácil!

Educação financeira não é algo simples. Exige disposição e muita disciplina para seguir um planejamento. No início, demanda inclusive que você abra mão de gastos que está acostumado a ter hoje.

Porém, seguir esse caminho da prudência fará com que você atinja um novo patamar financeiro e consiga (em pouco tempo) atingir a tão sonhada independência financeira.

Então, gostou do que leu sobre educação financeira? Tem muito mais sobre isso em nosso conteúdos. Acompanhe o nosso blog com frequência, assinando nossa newsletter e tendo acesso a conteúdos exclusivos que vão ajudar você na rotina financeira diária. Deixe o seu melhor e-mail!

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO